EN

                                                                                                                                                                                                 

 REALIZAÇÃO



“Meu Nome é Coisa” (pós-produção)



Documentário, Brasil, (pós-produção) falado em português

Meu Nome é Coisa aproxima-se do mundo bizarro da especulação imobiliária que a uma velocidade furiosa aprisiona o ser humano, tendo como ponto de partida, torná-lo um poste, uma pessoa-anúncio, muito distante dos sonhos que anuncia.

“Em Busca da Utopia” (in production) co-realizado com Nick Tyson, produzido por UnionDocs, NY.



Documentário (em produção) falado em inglês

Um grupo de adolescentes queer de Queens, NY, escreve um manifesto exigindo a transformação das suas casas, escolas e ambientes sociais. As suas declarações evocam imagens do passado, presente e futuro da comunidade queer nova-iorquina.









“Verdade ou Consequência”, produzido por Take it Easy Films para Rádio Televisão Portuguesa - RTP


Documentário, 2017, Portugal, 52’ falado em português e inglês

Eleita palavra do ano em 2016, a "Pós-Verdade" alimenta-se de notícias falsas, da exacerbação de medos, da falta de tempo para verificar factos, da indiferença social e da ausência de literacia da informação, propagando-se sem controlo com a Internet e as redes sociais. Na sociedade do hiperconsumo, o poder dos algoritmos é cada vez maior. As novas tecnologias são opacas e facilitam a manipulação. Como lidar com esta cascata de informação sem filtro, que nos cai em cima constantemente? Precisamos mesmo de novidades ao minuto, precisamos mesmo de estar sempre ligados e conectados? Como não enlouquecer neste caos informativo e digital?




“Paraíba”, produzido por Busca Vida Filmes



(Em desenvolvimento)
Série de Documentário10 episódios, 26’. Portugal e Brasil.

PARAÍBA aborda as questões em torno da sexualidade feminina a partir de uma perspectiva inédita e destemida.



Assistant Director “Mr.Babenco”, by Bárbara Paz,  produced by HB Filmes



Documentário, Brasil, (2019) falado em português e inglês

Mestiço de duas nações, maestro de imagem em ação, menino de olhos portenhos, mito de brasilidades marginais, Hector Eduardo Babenco foi de um tudo nesta vida, indo de figurante em spaghettis à italiana a diretor indicado ao Oscar. Marcou gols em muitas áreas do verbo viver, driblando da censura dos anos 1970 ao linfoma com quem guerreou. Venceu em Locarno, concorreu em Cannes, brilhou em Hollywood, dirigiu titãs como Meryl Streep, Jack Nicholson e Willem Dafoe. Foi e é: realizador dos grandes, pedaço indelével da História da América Latina em sua marcha para o Oeste e para o Leste do imaginário cinéfilo. Seu B de Babenco é consoante que se faz essencial nos dicionários de cinema do mundo todo. Mas por trás da grife construída à força de sucessos que marcaram época seja como blockbusters (Carandiru; Lúcio Flávio, o passageiro da agonia), seja como síntese de inquietação existencial frente ao horror da violência (O Beijo da Mulher Aranha; Pixote, a Lei do Mais Fraco), existe um homem com histórias outras que não as que viraram filme. Hector Babenco é o centro do documentário intitulado ?Corredor Polonês? Uma longa-metragem sobre um dos maiores diretores do Cinema Brasileiro. O filme mergulha, de forma sensível, poética e humana, na vida, nas memórias, nos sonhos e nas obras desse ícone da nossa cinematografia. As filmagens serão no Brasil, Argentina e Estados Unidos. Argumento, roteiro e direção serão de Barbara Paz. Numa narrativa não linear em que ficção e realidade se misturam e os tempos refletem a memória de um personagem vivo, resgatamos sua vida. São essas histórias que vão passar por este Corredor Polonês, documentário que não se quer nem se pretende cinebiografia: documentário que se quer fábula, que se quer saudade e reencontro, que se quer eco de uma subjetividade autoral, viva e vívida. Propomos uma imersão na vida do nosso personagem, olhando a ficção como pano de fundo e partindo para um retrato poético, em preto e branco, que capta a poesia em viver e continuar filmando.














































“Cartas da Guerra - making of”, produzido por O Som e a Fúria para a Rádio Televisão Portuguesa - RTP



Documentário, 2016, Portugal, 26’ falado em português

Making of do filme "Cartas de Guerra", realizado por Ivo M. Ferreira e baseado no romance "D´Este Viver Aqui Neste Papel Descripto: Cartas da Guerra" de António Lobo Antunes
O processo por detrás das câmaras. Como Ivo Ferreira construiu esta obra dramática, segundo um argumento seu e de Edgar Medina que se inspira em "D´Este Viver Aqui Neste Papel Descripto: Cartas da Guerra", uma compilação de cartas que António Lobo Antunes (na altura um jovem alferes destacado para Angola) escreveu à mulher.
Ano de 1971. António (Miguel Nunes), de 28 anos, é incorporado no exército português para servir como médico numa das piores zonas da Guerra Colonial, no Leste de Angola. Longe de Maria José (Margarida Vila-Nova), a mulher amada que se viu obrigado a deixar, ele vai matando as saudades através de longas cartas que durante dois anos lhe escreve. Através delas, o espectador vai conhecendo o homem solitário por detrás do soldado, as suas angústias, desejos e esperanças. Com o passar do tempo, António apaixona-se por África e toma posições políticas?


“Amazonia - making of”,  (2013) produzido por Gullane Filmes



Documentary, 2013, Brasil, 28’ , falado em português e francês



















                              Contacto: Email,  Instagram

Mark